Coquinho jerivá

IMG_20171218_195553

Há quanto tempo eu não via este coquinho. Aliás, nem sabia o nome. Na infância, chamávamos apenas de coquinho! 🙂

Fiz uma pesquisa e descobri o nome dele, tadinho…

Nomes populares: Jerivá, baba-de-boi, cheribão, coco-de-cachorro, coco-de-catarro, coco-de-sapo, coco-juvena, coqueirinho, coqueiro, coqueiro-jerivá, coquinho, coquinho-babão, coquinho-doce, baba-de-boi, gerivá, imburi-de-cachorro, jeribá, jureva, palmeira, pindó, pindoba-do-sul, tâmara-da-terra

Nome científico: Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman

Fitoquímica: As sementes possuem quantidade razoável de proteínas, fibras alimentares e selênio; também é uma boa fonte de goma (polissacarídeos) com características hidrofílicas, solubilidade em água e com capacidade de formação de géis, pois possui alta viscosidade em solução aquosa.

Fitoterapia – Medicinal: Na medicina popular, é utilizado como diurético, contra a diarréia, amarelão e problemas de rins. O chá da casca e da flor, ou o sucos dos frutos, é usado como vermífugo. Os índios guarani utilizam a infusão das raízes para combater a dor de dentes.

Fitoeconomia: Dos frutos extrai-se óleo, cujos ácidos graxos aí presentes fornecem matéria prima para a fabricação de sabão.

Apícola: As grandes inflorescências do jerivá produzem muito pólen e néctar, que são úteis à produção de mel.

Artesanato: As sementes podem ser utilizadas para confecção de produtos artesanais.

Fibras: As fibras podem ser aproveitadas na confecção de roupas, redes e outros artigos.

Forragem: É muito comum, em épocas de estiagem, que suas folhas sejam utilizadas como forragem, a qual é muito apreciada, principalmente pelos eqüinos. Os frutos são muito apreciados pelos porcos, e constituem ótima ração.

Alimentação humana: O fruto do jerivá é comestível, e sua polpa é doce e saborosa. Os frutos podem ser fervidos, e o suco extraído serve para fazer geléias e sucos. Em algumas regiões, o palmito das plantas jovens também é consumido, e apresenta um teor de nutrientes bem superior ao do palmito pupunha, e o gosto deste palmito, segundo alguns autores é um pouco mais amargo, mas outros autores afirmam o contrário, considerando-o superior até mesmo ao palmito-verdadeiro (Euterpe edulis). As amêndoas das sementes também são consumidas in natura e muito apreciadas, podendo ainda ser usadas como fonte de óleo ou farinha.

Ornamental: Atualmente vem sendo muito utilizado em paisagismo, na arborização de jardins e praças. É muito decorativa e possui um belo efeito paisagístico. Como seu sistema de raízes é pouco profundo, pode ser transplantada mesmo depois de adulta.

Ecológico: Os frutos do jerivá são avidamente procurados por várias espécies de animais, como aves, peixes, lagartos e graxains, e as flores costumam ser muito procuradas por toda classe de insetos, o que a torna de extrema importância na recuperação de áreas degradadas.

Econômica: As folhas desta palmeira ainda são muito utilizada pelos indígenas como cobertura das casas. E em áreas rurais são também utilizadas para cobrir galpões de fumo ou como forragem em épocas de seca.

Os índios Guaranis de Misiones, Argentina, utilizam o tronco desta espécie para a confecção de tambores, e as fibras das folhas jovens servem para a confecção de instrumentos musicais de corda.

Fonte: @florasbs

Quanta coisa legal, né!!! Acho incrível poder redescobrir essas coisas da infância e aprender mais com estas redescobertas!!!

Psicobeijos!!! 💚

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s